Lançamento Mundial da Nanotinta - 2014

As vantagens da nanotina são inúmeras, tanto para quem produz como para quem usa embalagens, rótulos e etiquetas, entre elas está a sua sustentabilidade. Uma tinta convencional à base de água utiliza micropartículas de resinas e pigmentos em sua dispersão, enquanto a nanotina é composta de nanopartículas de resinas e pigmentos em sua dispersão, isso de forma bem simplificada, pois existe muito mais tecnologia embarcada no processo.
 
Os convertedores terão à sua disposição, uma série de soluções para serem utilizadas com os mais diversos objetivos, por exemplo, na área de banda estreita, estas tintas permitem a impressão com vantagens, em uma extensa gama de materiais, como filmes flexíveis e papéis, adesivados ou não, alumínio, e em processos de transferências, como termoencolhíveis, heat tranfers, entre outros.
 
“Algumas das principais características da nanotinta é que ela possui um brilho muito maior do que as tintas à base de água convencionais, além de maior cobertura e uma incrível resistência à umidade. Desta forma, os convertedores que quiserem substituir a tinta UV, pela nanotinta, terão uma série de vantagens, começando pelo preço de compra, em torno de 40% a 50% menor. A facilidade de migração de uma tinta para outra é um fator muito atraente, pois as impressoras que possuem estufas de secagem por ar quente não necessitam de nenhuma mudança, e aquelas que estão equipadas para imprimir só com tinta UV, basta trocar as lâmpadas por IR (infravermelho)”, destaca Cezário.
 
O segmento de banda larga, que imprime diversos tipos de filmes flexíveis, papéis, metalizados, TNT, entre outros, e que utiliza, em sua maioria, tintas à base de solventes, ainda de acordo com o executivo, também poderá optar pela nanotina, com ganhos extremamente relevantes, por exemplo a alta aderência para viabilizar a impressão em filmes flexíveis com deficiência de tratamento superficial, ou a possibilidade de substituição da tradicional laminação com BOPP, que normalmente é utilizada para evitar a migração e contaminação dos produtos acondicionados, além de facilitar a selagem, com apenas aplicar uma pequena camada de nanoverniz termoselante.
 
“No segmento de caixas e displays de papelão ondulado, que já utilizam tradicionalmente tintas à base de água, também podem contar com as vantagens do alto brilho e excelente cobertura, além da incrível aderência das nanotintas. Tem ótima secagem, excepcional resistência ao atrito e à umidade e, normalmente, elimina o verniz de sobre impressão. Outra característica é que os equipamentos de impressão são exatamente os mesmos utilizados com as tintas à base de água convencionais ou base de solventes. O melhor ainda desta nova tinta é que ela foi desenvolvida por brasileiros para atender às nossas necessidades”, acrescenta Cezário
 
Fonte: ABFLEXO

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!